Get Adobe Flash player
02.jpg
Dom, 15 de Setembro de 2013 02:40

Prefeito entrega reivindicações ao presidente da EGR

O prefeito de Pareci Novo e presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio Caí, Rafael Riffel, abriu os trabalhos da reunião dos prefeitos da região na manhã de segunda-feira, dia 9, no campus da Universidade de Caxias do Sul (UCS), em São Sebastião do Caí.

Num primeiro momento, a presidente do Consórcio Intermunicipal (CIS-Caí), a prefeito de Salvador do Sul, Carla Specht, apresentou a empresa que fará o Plano de Saneamento básico da região, a MJ Engenharia, de Porto Alegre. Já depois o encontro teve a presença do presidente da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), Luiz Carlos Bertotto, que na região assumiu a administração da praça de pedágio de Rincão do Cascalho (Portão) e as rodovias RS 122 e RS 240, antes administrados pelo Daer.Segundo Bertotto, com a EGR, as obras e melhorias devem ser agilizadas, reduzindo a burocracia. “Os recursos não vão para o caixa único do Estado e sim para a conta de cada posto de pedágio”, explica. Desde 15 de fevereiro deste ano, quando a EGR assumiu a praça de Portão, já foram arrecadados 12 milhões e 100 mil reais. “O que não foi gasto em manutenção, como tapa-buracos, melhorias, pintura e limpeza, ainda serão investidos nas rodovias”, garante Bertotto. Conforme ele, 80% dos recursos arrecadados devem ser investidos nas rodovias. E citou que está sendo contratada uma empresa, por licitação, para a manutenção das rodovias. “O custo sai mais baixo”, afirma.

O presidente da EGR garantiu que não devem ser aumentadas as tarifas do pedágio. O prefeito caiense Darci Lauermann questionou sobre os veículos do Caí que são emplacados em Portão para ficarem isentos do pedágio. “São mais de 400”, calculou o secretário municipal e presidente do Codevarc, Alzir Bach. Bertotto concordou que existe uma distorção, entendendo que pode ser exigido comprovante de residência ou título de eleitor. Já o prefeito de Capela de Santana, Nestor Bernardes, lamentou que o município perde com isso grande parte do IPVA. E chegou a solicitar também isenção de tarifa para os moradores de Capela, como já acontece em Portão. “Essa cobrança dificulta também a atração de investimentos, como empresa”, declarou. Bertotto diz que pode ser feito um estudo sobre isso. Ele descarta a isenção, mas citou que no caso de municípios como Capela e o Caí, pode se estudar cobrar um valor menor dos motoristas.Perguntas dos prefeitosApós sua palestra, Luiz Carlos Bertotto respondeu vários questionamentos dos prefeitos da região, que também encaminharam reivindicações. O prefeito de Feliz, Albano Kunrath, questionou sobre com quem os municípios devem agora tratar, já que antes era com o Daer. “Na região a EGR passou a cuidar apenas da RS 122 e RS 240. As demais continuam com o Daer”, respondeu, não descartando que mais rodovias sejam abrangidas pela EGR.O prefeito de Harmonia, Carlos Alberto Fink (Lico), perguntou sobre a situação das três pontes estreitas do Matiel, na divisa com Pareci Novo e o Caí. Bertotto ressaltou que este trecho continua sob jurisdição do Daer.

Já o prefeito de Bom Princípio, Vasco Brandt, disse que os municípios ainda aguardam o retorno do ISSQN da EGR. “É bem possível que seremos imunes e aí não será pago. Independente disso, vamos tentar investir nas rodovias”, disse. Vasco ainda cobrou mais segurança no cruzamento entre a RS 122 e a RS 452, lembrando que no local já ocorreram vários acidentes, inclusive com mortes. Bertotto disse que emergencialmente no local pode ser construída uma rotatória, com o posto da Polícia Rodoviária no meio, e futuramente um viaduto. “O problema é a ponte. No mínimo tem que fazer uma terceira faixa. Estamos estudando, mas não tem nem projeto”, citou.Já o prefeito Nestor, de Capela, questionou sobre os buracos da RS 240 e o trecho onde foi feito à galeria no quilômetro 24, que mesmo com a repavimentação na semana passada, ainda possui uma depressão. Bertotto concordou que devem ser feitos novos reparos e se disse preocupado com o local que desmoronou no ano passado. “Não foi feito acostamento e está desmoronando nas laterais”, disse, temendo que possa piorar. Disse que a empresa Giovanella deve tomar providências. Sobre os buracos, informou que devem ser tapados em cerca de um mês. Já a prefeita Marli Lourdes Weissheimer, de São Vendelino, elogiou as melhorias executadas pela EGR. Ela só alertou quanto à água que costuma acumular na pista em Piedade. “A empresa contratada vai limpar bueiros e providenciar as melhorias”, informou Bertotto. No final, o presidente da AMVARC e prefeito de Pareci Novo, Rafael Riffel, entregou um documento com as reivindicações dos municípios, incluindo pavimentação de rodovias, construção de viadutos em cruzamentos com risco de acidentes, trevos de acesso em locais de intenso fluxo de veículos e pessoas, duplicação de pistas e a construção de uma nova ponte sobre o rio Caí na ligação entre Pareci e o Caí, entre outros pedidos de conclusão de asfaltamentos em obras inacabadas ou que nem iniciaram.